view: contents - template: fulltext
SEG01
TER02
QUA03
QUI04
SEX05
SAB 06
DOM 07
SEG08
TER09
QUA10
QUI11
SEX12
SAB 13
DOM 14
SEG15
TER16
QUA17
QUI18
SEX19
SAB 20
DOM 21
SEG22
TER23
QUA24
QUI25
SEX26
SAB 27
DOM 28
SEG29
TER30
QUA31
Versão revista

IÚNA - 1ª VARA
Informativos

Edital

EDITAL N° 003/2018

 

O Excelentíssimo Dr. RAFAEL MURAD BRUMANA, MM. Juiz de Direito da 1° Vara da Comarca de Iúna, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições, na forma da lei, e

 

Considerando a Resolução N° 005/2018 da Presidência do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, publicada em 05 de fevereiro de 2018, que regulamenta a nomeação de advogados para atuarem como dativos em processos do Poder Judiciário do Espírito Santo;

 

Considerando que o artigo 2° da referida Resolução estabelece que o Magistrado deverá oportunizar, por meio de edital, a inscrição dos advogados que desejam a nomeação para atuarem como dativos;

 

Considerando o disposto pelo artigo 5º, inciso LXXIV, da Constituição Federal, segundo o qual "o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos";


Considerando que para salvaguardar a defesa dos jurisdicionados hipossuficientes e os princípios constitucionais de acesso, distribuição da Justiça e celeridade da prestação jurisdicional faz-se necessária, atualmente, a nomeação de advogados para atuarem como dativos nos processos em que seja verificada a inexistência, ou insuficiência, da prestação de serviços jurídicos pela Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo;

 

Considerando a necessidade de racionalização e imparcialidade nas nomeações de advogados para atuarem como dativos nos processos em trâmite perante o Poder Judiciário do Estado do Espírito Santo, mediante a publicidade do procedimento a fim de garantir-se o acesso, de forma impessoal e igualitária, de todos os advogados interessados em aceitar o múnus público, assegurando-se, assim, a prevalência dos princípios estampados no artigo 37, da Constituição Federal;

 

Considerando o disposto nos §§ 5º e 6º da Resolução N° 005/2018 da Presidência do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo e os §§ 2º e 3º do artigo 3º do Edital Nº 002/2018 desta Vara, publicado no Diário da Justiça de 18/04/2018, que estabelece que a lista de advogados inscritos na Vara teria validade de 06 (seis) meses, quando seria integralmente revista, mediante abertura de novo edital;

 

Considerando a proximidade do fim da validade da lista de advogados inscritos nesta Vara, cujas inscrições foram deferidas através do referido Edital Nº 002/2018;

 

RESOLVE:

 

Art. 1° Tomar pública a abertura de EDITAL para a inscrição de advogados regularmente inscritos na OAB que desejam ser nomeados para atuarem como dativos, quando necessário, nos processos em trâmite perante a 1ª Vara da Comarca da lúna - ES.

 

§ 1º. A inscrição será realizada por meio de documento formalmente encaminhado a este Juízo, manifestando o interesse do advogado em ser nomeado, quando necessário, para atuação como dativo, assim como o compromisso de aceitar a designação ou, em casos excepcionais, comunicar por escrito, nos autos respectivos, os motivos da recusa.

 

§ 2°. Somente poderão solicitar a referida inscrição os advogados que comprovarem regularidade de sua inscrição perante a Ordem dos Advogados do Brasil, devendo, portanto, apresentar no ato da inscrição extrato ou documento equivalente, atualizado, obtido através do site cna.oab.org.br.

 

§ 3°. Será formalmente indeferida a inscrição do advogado que não comprovar o atendimento ao requisito referido no § 2°.

 

§ 4°. O indeferimento de inscrição de advogado não obsta que, após comprovadamente sanado o vício motivador do indeferimento, seja novamente pleiteada, no semestre subsequente, a sua inclusão na lista do Juízo para, quando necessário, atuar como dativo.

 

Art. 2º A inscrição referida no artigo anterior deverá ser feita por meio físico, na Contadoria da Comarca de Iúna – ES, com endereçamento a este Juízo da 1ª Vara da Comarca de Iúna – ES, no qual deve constar: nome completo, número do CPF, e-mail, número de inscrição na OAB, endereço e telefones de contato atualizados, bem como anexando o comprovante de regularização de inscrição na OAB, conforme §2º do art. 1º deste edital.

 

Art. 3° O prazo para inscrição será do dia 17 de outubro de 2018 às 12:00 horas, até o dia 31 de outubro de 2018 às 18:00 horas.

 

§ 1°. Ao protocolar sua inscrição na Contadoria da Comarca de Iúna - ES o advogado será incluído em uma lista de advogados cadastrados, em ordem crescente, usando-se como parâmetro a hora e a data de recebimento da inscrição no setor de protocolo.

 

§ 2º A lista de advogados inscritos nesta Vara terá validade de 06 (seis) meses, quando será integralmente revista, mediante abertura de novo edital.

 

§ 3º A inscrição efetuada pelo advogado é válida somente até que seja aberto novo edital, oportunidade em que, havendo interesse em permanecer no quadro de inscritos da unidade judiciária para atuar como dativo, o advogado deverá realizar nova inscrição.

 

§ 4º A lista de advogados obedecerá, rigorosamente, a ordem crescente do protocolo realizado, conforme § 1º deste artigo.

 

§ 5º. As nomeações seguirão a ordem estipulada no § 1º deste artigo, retomando-se sempre de onde parou, de modo que sejam asseguradas a isonomia e a impessoalidade das nomeações.

 

§ 6°. Após ser nomeado como dativo em determinado processo, o advogado será redirecionado ao final da fila.

 

§ 7°. A lista de advogados mencionada no § 1º deste artigo será publicada no Diário de Justiça por este Juízo por 3 (três) dias consecutivos, e ficará disponível na Secretaria do Juízo para acesso público.

 

Art. 4º. Será de 05 (cinco) dias úteis o período para eventuais impugnações, contados a partir do último dia da publicação da lista no Diário de Justiça, por meio de peticionamento direcionado a este Juízo e protocolada no setor de Protocolo, por meio físico.

 

§ 1°. Poderá ser objeto de impugnação a ausência de inclusão de nome de advogado que tenha solicitado inscrição e não tenha sido indeferida formalmente nos ternos do §3° do art. 1º deste Edital, ou a indevida inclusão de advogado que não preencha os requisitos necessários à inscrição, desde que acompanhada dos documentos que comprovem a alegação.

 

§ 2º. As impugnações apresentadas serão analisadas por este Juízo em até 05 (cinco) dias úteis. Havendo necessidade de alterações estas serão efetuadas, publicando-se novamente a lista no Diário de Justiça.

 

Art. 5° Ficam advertidos os advogados que forem nomeados que:

 

I - Uma vez nomeados para atuação como dativos não poderão substabelecer os poderes a outro advogado.

 

II - Havendo algum motivo que impeça o advogado de continuar atuando no processo como dativo, deverá informar ao Juízo e solicitar a sua destituição, com a consequente nomeação de outro advogado, não fazendo jus à compensação de tal processo e, portanto, devendo aguardar, ao fim da lista, nova nomeação.

 

III - O advogado que substabelecer os poderes no processo para o qual foi nomeado, contrariando o inciso I deste artigo, ou que atuar de forma desidiosa no curso do processo, será excluído da lista de advogados cadastrados para atuarem como dativos perante a 1ª Vara de Iúna, sendo-lhe vedada a inscrição na lista referente ao edital imediatamente subsequente.

 

IV - A exclusão do advogado da lista de cadastro da 1ª Vara de Iúna, na forma do Inciso III deste artigo, não importa em automática destituição do encargo para atuar como dativo nos processos em que já houver sido nomeado, de modo que tal medida dependerá sempre de decisão judicial motivada proferida nos respectivos autos.

 

V - É vedada a utilização, pelos advogados, de expressão, termo ou vocábulo que denote caráter permanente ao múnus público de advocacia dativa em qualquer de seus documentos profissionais, inclusive cartões de visitas.

 

VI – Tramitam na 1ª Vara de Iúna processos cíveis, abrangendo todos os ritos, processos de família, execução fiscal, etc., não podendo o advogado dativo escolher quais causas e ramos do direito atuará. Será nomeado o advogado que estiver na vez.

 

VII - A nomeação do advogado dativo poderá ser feita para a prática de apenas um ato específico ou para patrocínio de todo o processo, a depender da necessidade do caso concreto, devendo o nomeado ser cientificado expressamente acerca da extensão de sua nomeação.

 

VIII - Havendo a nomeação de advogado dativo para acompanhamento do requerido(a) em audiência de conciliação/mediação e não ocorrendo a autocomposição, o advogado dativo nomeado deverá apresentar defesa e demais atos postulatórios, incumbindo-lhe o patrocínio de todo o processo a partir desse momento.

 

§ 1º Na hipótese do inciso VII, se a necessidade do caso concreto o evidenciar, é vedado ao advogado dativo nomeado pretender ser nomeado para apenas um ato específico e não para patrocínio de todo o processo, não cabendo ao advogado realizar esta análise, a qual compete exclusivamente à autoridade nomeante.

 

§ 2º Na hipótese do inciso VIII, não apresentando o advogado dativo nomeado a defesa e demais atos postulatórios que lhe incumbem, este não fará jus à compensação de tal processo.


Art. 6° Nos casos em que a parte comparecer à audiência, de conciliação/mediação, preliminar ou de instrução, desacompanhada de advogado constituído, observando-se a necessidade de prestação de assistência jurídica gratuita e, ainda, estando impossibilitada a Defensoria Pública de assistir a parte, a nomeação de advogado para atuar como dativo dar-se-á no início do ato, observando-se a lista mencionada no §1º do art. 3°, deste edital.

 

§ 1º. Nos casos do caput deste artigo, acaso o causídico que ocupe o topo da lista de inscritos, fazendo jus à nomeação para atuar como dativo, não possua disponibilidade imediata para patrocinar a causa, dever-se-á contatar o imediatamente subsequente, e assim sucessivamente, até que seja encontrado profissional imediatamente disponível.

 

§ 2º. O advogado que, ao ser contatado nos moldes do parágrafo anterior, não tiver disponibilidade imediata, será direcionado ao final da lista.

 

§ 3º O advogado que for nomeado para prática de atos no processo e não cumprir seu encargo no prazo fixado, será excluído da lista de advogados cadastrados para atuarem como dativos perante esta Vara, sendo-lhe vedada a inscrição na lista referente ao edital imediatamente subsequente.

 

Art. 7° As eventuais omissões e as situações não previstas neste edital serão decididas por este Juízo.

 

Art. 8° Este edital entra em vigor na data de sua publicação no Diário de Justiça.

 

Publique-se.

 

Iúna – ES, 10 de outubro de 2018.

 

RAFAEL MURAD BRUMANA

JUIZ DE DIREITO

IÚNA - 1ª VARA
Intimações

Intimação - Diário

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
PODER JUDICIÁRIO
Juízo de Iúna - 1ª Vara
Rua Galaos Rius, 301, Fórum Desembargador Waldemar Pereira, Centro, IÚNA - ES - CEP: 29390-000
Telefone:(28) 35451070

PROCESSO Nº 5000282-40.2018.8.08.0028
PROCEDIMENTO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL (436)
REQUERENTE: EDUARDO DE MOURA GOMES
REQUERIDO: ESPIRITO SANTO CENTRAIS ELETRICAS SOCIEDADE ANONIMA
Advogado do(a) REQUERENTE: CRISTIANE GARCIA CERQUEIRA MACEDO - MG141564

INTIMAÇÃO

Por ordem do(a) Exmo(a). Dr(a). Juiz(a) de Direito da Iúna - 1ª Vara, fica(m) o(a/s) advogado(a/s) supramencionado(a/s) intimado(a/s)   para da decisão proferida (id. 1481958), bem como da audiência designada para o dia 07/11/2018 às 17:00 horas.

IÚNA-ES, 10 de outubro de 2018.

HELOÍSA CHEQUER BOU-HABIB ALCURE
Analista Judiciária Especial

IÚNA - 1ª VARA
Listas

Lista 0197/2018

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
IÚNA - 1ª VARA

JUIZ(A) DE DIREITO: DRº RAFAEL MURAD BRUMANA
PROMOTOR(A) DE JUSTIÇA: DRº ROGER GUIMARAES DE MELO BARRETO
ANALISTA JUDICIARIO ESPECIAL: HELOISA CHEQUER BOUHABIB ALCURE


Lista: 0197/2018


1 - 0001115-46.2018.8.08.0028 - Procedimento Comum
Requerente: J.V.D.S.L. e outros
Requerido: E.D.L.D.S.

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 9670/ES - ELISA HELENA QUARTO AMARAL
Requerente: J.V.D.S.L.
Ao autor para, querendo, impugnar a contestação apresentada.


2 - 0002554-29.2017.8.08.0028 - Alimentos - Lei Especial Nº 5.478/68
Requerente: N.O.D.S.
Requerido: J.P.R.D.S. e outros

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 14378/ES - ALAN MARIANO
Requerido: M.L.A.F.D.S.
Requerido: J.P.R.D.S.

Para tomar ciência do despacho:
  • Intime-se a parte para especificar as provas que pretende produzir, no prazo de 10 (dez) dias, advertindo-o que o silêncio implicará no julgamento antecipado da lide.


3 - 0002901-33.2015.8.08.0028 - Procedimento Comum
Requerente: DOUVENIR LAURINDO PEREIRA
Requerido: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURIDADE SOCIAL - INSS

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 21759/ES - DIOGO MENDES DE CAMPOS
Requerente: DOUVENIR LAURINDO PEREIRA

Para tomar ciência da sentença:
Ante o exposto, em razão da coisa julgada, julgo extinto o processo, sem resolução de mérito, nos termos do artigo 485, inciso V, do Código de Processo Civil. Em atenção ao princípio da sucumbência (art. 85, do CPC-15), condeno o autor ao pagamento das custas do processo e honorários advocatícios de 10% sobre o valor da causa (art. 85, § 2°, do CPC-15). Considerando que o requerente está amparado pela assistência judiciária, declaro que as obrigações decorrentes da sucumbência ficarão sob condição suspensiva de exigibilidade e somente poderão ser executadas se, nos 5 (cinco) anos subsequentes ao trânsito em julgado da presente sentença, o credor demonstrar que deixou de existir a situação de insuficiência de recursos que justificou a concessão de gratuidade, extinguindo-se, passado esse prazo, tais obrigações do beneficiário (art. 98, § 3°, do CPC-15). P.R.I.C. Após o trânsito em julgado, arquive-se.


4 - 0001537-21.2018.8.08.0028 - Execução de Título Extrajudicial
Exequente: TOPACK DO BRASIL LTDA
Executado: WILLIAN MACIEL GERALDO

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 272838/SP - CINTIA ZAMPIERI GALITEZI DE OLIVEIRA
Exequente: TOPACK DO BRASIL LTDA
Advogado(a): 267797/SP - DANIEL AUGUSTO BOMBARDA DE OLIVEIRA
Exequente: TOPACK DO BRASIL LTDA
Ao autor para ciência da devolução do mandado pelo Oficial de Justiça, requerendo o que entender de direito no prazo legal.


5 - 0001350-13.2018.8.08.0028 - Execução de Título Extrajudicial
Exequente: BANCO DO BRASIL S/A
Executado: EDUARDO ANTONIO MOREIRA e outros

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 18353/ES - MARCOS CALDAS MARTINS CHAGAS
Exequente: BANCO DO BRASIL S/A
Ao autor para ciência da devolução do mandado pelo Oficial de Justiça, que deixou de citar a executada Josiane, requerendo o que entender de direito no prazo legal.


6 - 0001938-25.2015.8.08.0028 - Execução de Alimentos
Exequente: N.O.D.S. e outros
Executado: J.P.R.D.S.J.

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 17535/ES - ANDREZA SANTOS DA SILVA AGUIAR
Exequente: N.O.D.S.
Ao autor para ciência da devolução do mandado pelo Oficial de Justiça, que deixou de efetuar a prisão, requerendo o que entender de direito no prazo legal.


7 - 0000213-93.2018.8.08.0028 - Divórcio Litigioso
Requerente: J.M.D.A.
Requerido: A.D.O.S.

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 19930/ES - ALEKSANDRO HONRADO VIEIRA
Requerido: A.D.O.S.

Para tomar ciência da sentença:
Ante o exposto, homologo por sentença o acordo de realizado em audiência (f. 21) e decreto o divórcio entre Jéssica Mates de Amorim e Alan Dioni Oliveira Santos para que surtam os seus jurídicos e legais efeitos, e, por consequência, julgo extinto o processo, com resolução do mérito, nos termos do artigo 487, inciso III, “b”, do Código de Processo Civil. Por força da sucumbência, condeno as partes ao pagamento das custas processuais, condicionando sua execução nos termos do art. 98, §3º do mesmo diploma legal. SERVE A PRESENTE SENTENÇA DE MANDADO DE AVERBAÇÃO, a qual deverá ser apresentada, por cópia autenticada, à Serventia de Registro Civil Competente para fins de averbação do divórcio, sem a cobrança de emolumentos, nos termos do artigo 98, inciso II, do Código de Processo Civil, segundo o qual a gratuidade da justiça compreende “os emolumentos devidos a notários ou registradores em decorrência da prática de registro, averbação ou qualquer outro ato notarial necessário à efetivação de decisão judicial ou à continuidade de processo judicial no qual o benefício tenha sido concedido”. Considerando os serviços prestados pela causídica Dr.ª Rhaab Noya Bastos Gomes, OAB/ES 22.224, na condição de advogada dativa, com fulcro no decreto 2.821 do Estado do Espírito Santo, fixo o valor de R$ 600,00 (seiscentos reais) a título de honorários advocatícios, a serem pagos pelo Estado do Espírito Santo. Expeça-se o competente RPV. Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Cientifique-se o Ministério Público. Diligencie-se. Transitada em julgado, arquive-se com as cautelas de praxe.


8 - 0000742-15.2018.8.08.0028 - Procedimento Comum
Requerente: FRANCISCO DE ASSIS E SANTOS
Requerido: INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 28513/ES - AMANDA PELLISSARI SILVEIRA
Requerente: FRANCISCO DE ASSIS E SANTOS
Ao autor para, querendo, impugnar a contestação apresentada.


9 - 0000532-61.2018.8.08.0028 - Procedimento Comum
Requerente: MARLENE GOMES FONTOURA
Requerido: BANCO BANESTES

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 19930/ES - ALEKSANDRO HONRADO VIEIRA
Requerente: MARLENE GOMES FONTOURA
Ao autor para, querendo, impugnar a contestação apresentada.




IÚNA, 10 DE OUTUBRO DE 2018

HELOISA CHEQUER BOUHABIB ALCURE
ANALISTA JUDICIARIO ESPECIAL

IÚNA - 1ª VARA
Editais

Edital

EDITAL N° 003/2018

 

O Excelentíssimo Dr. RAFAEL MURAD BRUMANA, MM. Juiz de Direito da 1° Vara da Comarca de Iúna, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições, na forma da lei, e

 

Considerando a Resolução N° 005/2018 da Presidência do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo, publicada em 05 de fevereiro de 2018, que regulamenta a nomeação de advogados para atuarem como dativos em processos do Poder Judiciário do Espírito Santo;

 

Considerando que o artigo 2° da referida Resolução estabelece que o Magistrado deverá oportunizar, por meio de edital, a inscrição dos advogados que desejam a nomeação para atuarem como dativos;

 

Considerando o disposto pelo artigo 5º, inciso LXXIV, da Constituição Federal, segundo o qual "o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos";

 


Considerando que para salvaguardar a defesa dos jurisdicionados hipossuficientes e os princípios constitucionais de acesso, distribuição da Justiça e celeridade da prestação jurisdicional faz-se necessária, atualmente, a nomeação de advogados para atuarem como dativos nos processos em que seja verificada a inexistência, ou insuficiência, da prestação de serviços jurídicos pela Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo;

 

Considerando a necessidade de racionalização e imparcialidade nas nomeações de advogados para atuarem como dativos nos processos em trâmite perante o Poder Judiciário do Estado do Espírito Santo, mediante a publicidade do procedimento a fim de garantir-se o acesso, de forma impessoal e igualitária, de todos os advogados interessados em aceitar o múnus público, assegurando-se, assim, a prevalência dos princípios estampados no artigo 37, da Constituição Federal;

 

Considerando o disposto nos §§ 5º e 6º da Resolução N° 005/2018 da Presidência do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo e os §§ 2º e 3º do artigo 3º do Edital Nº 002/2018 desta Vara, publicado no Diário da Justiça de 18/04/2018, que estabelece que a lista de advogados inscritos na Vara teria validade de 06 (seis) meses, quando seria integralmente revista, mediante abertura de novo edital;

 

Considerando a proximidade do fim da validade da lista de advogados inscritos nesta Vara, cujas inscrições foram deferidas através do referido Edital Nº 002/2018;

 

RESOLVE:

 

Art. 1° Tomar pública a abertura de EDITAL para a inscrição de advogados regularmente inscritos na OAB que desejam ser nomeados para atuarem como dativos, quando necessário, nos processos em trâmite perante a 1ª Vara da Comarca da lúna - ES.

 

§ 1º. A inscrição será realizada por meio de documento formalmente encaminhado a este Juízo, manifestando o interesse do advogado em ser nomeado, quando necessário, para atuação como dativo, assim como o compromisso de aceitar a designação ou, em casos excepcionais, comunicar por escrito, nos autos respectivos, os motivos da recusa.

 

§ 2°. Somente poderão solicitar a referida inscrição os advogados que comprovarem regularidade de sua inscrição perante a Ordem dos Advogados do Brasil, devendo, portanto, apresentar no ato da inscrição extrato ou documento equivalente, atualizado, obtido através do site cna.oab.org.br.

 

§ 3°. Será formalmente indeferida a inscrição do advogado que não comprovar o atendimento ao requisito referido no § 2°.

 

§ 4°. O indeferimento de inscrição de advogado não obsta que, após comprovadamente sanado o vício motivador do indeferimento, seja novamente pleiteada, no semestre subsequente, a sua inclusão na lista do Juízo para, quando necessário, atuar como dativo.

 

Art. 2º A inscrição referida no artigo anterior deverá ser feita por meio físico, na Contadoria da Comarca de Iúna – ES, com endereçamento a este Juízo da 1ª Vara da Comarca de Iúna – ES, no qual deve constar: nome completo, número do CPF, e-mail, número de inscrição na OAB, endereço e telefones de contato atualizados, bem como anexando o comprovante de regularização de inscrição na OAB, conforme §2º do art. 1º deste edital.

 

Art. 3° O prazo para inscrição será do dia 17 de outubro de 2018 às 12:00 horas, até o dia 31 de outubro de 2018 às 18:00 horas.

 

§ 1°. Ao protocolar sua inscrição na Contadoria da Comarca de Iúna - ES o advogado será incluído em uma lista de advogados cadastrados, em ordem crescente, usando-se como parâmetro a hora e a data de recebimento da inscrição no setor de protocolo.

 

§ 2º A lista de advogados inscritos nesta Vara terá validade de 06 (seis) meses, quando será integralmente revista, mediante abertura de novo edital.

 

§ 3º A inscrição efetuada pelo advogado é válida somente até que seja aberto novo edital, oportunidade em que, havendo interesse em permanecer no quadro de inscritos da unidade judiciária para atuar como dativo, o advogado deverá realizar nova inscrição.

 

§ 4º A lista de advogados obedecerá, rigorosamente, a ordem crescente do protocolo realizado, conforme § 1º deste artigo.

 

§ 5º. As nomeações seguirão a ordem estipulada no § 1º deste artigo, retomando-se sempre de onde parou, de modo que sejam asseguradas a isonomia e a impessoalidade das nomeações.

 

§ 6°. Após ser nomeado como dativo em determinado processo, o advogado será redirecionado ao final da fila.

 

§ 7°. A lista de advogados mencionada no § 1º deste artigo será publicada no Diário de Justiça por este Juízo por 3 (três) dias consecutivos, e ficará disponível na Secretaria do Juízo para acesso público.

 

Art. 4º. Será de 05 (cinco) dias úteis o período para eventuais impugnações, contados a partir do último dia da publicação da lista no Diário de Justiça, por meio de peticionamento direcionado a este Juízo e protocolada no setor de Protocolo, por meio físico.

 

§ 1°. Poderá ser objeto de impugnação a ausência de inclusão de nome de advogado que tenha solicitado inscrição e não tenha sido indeferida formalmente nos ternos do §3° do art. 1º deste Edital, ou a indevida inclusão de advogado que não preencha os requisitos necessários à inscrição, desde que acompanhada dos documentos que comprovem a alegação.

 

§ 2º. As impugnações apresentadas serão analisadas por este Juízo em até 05 (cinco) dias úteis. Havendo necessidade de alterações estas serão efetuadas, publicando-se novamente a lista no Diário de Justiça.

 

Art. 5° Ficam advertidos os advogados que forem nomeados que:

 

I - Uma vez nomeados para atuação como dativos não poderão substabelecer os poderes a outro advogado.

 

II - Havendo algum motivo que impeça o advogado de continuar atuando no processo como dativo, deverá informar ao Juízo e solicitar a sua destituição, com a consequente nomeação de outro advogado, não fazendo jus à compensação de tal processo e, portanto, devendo aguardar, ao fim da lista, nova nomeação.

 

III - O advogado que substabelecer os poderes no processo para o qual foi nomeado, contrariando o inciso I deste artigo, ou que atuar de forma desidiosa no curso do processo, será excluído da lista de advogados cadastrados para atuarem como dativos perante a 1ª Vara de Iúna, sendo-lhe vedada a inscrição na lista referente ao edital imediatamente subsequente.

 

IV - A exclusão do advogado da lista de cadastro da 1ª Vara de Iúna, na forma do Inciso III deste artigo, não importa em automática destituição do encargo para atuar como dativo nos processos em que já houver sido nomeado, de modo que tal medida dependerá sempre de decisão judicial motivada proferida nos respectivos autos.

 

V - É vedada a utilização, pelos advogados, de expressão, termo ou vocábulo que denote caráter permanente ao múnus público de advocacia dativa em qualquer de seus documentos profissionais, inclusive cartões de visitas.

 

VI – Tramitam na 1ª Vara de Iúna processos cíveis, abrangendo todos os ritos, processos de família, execução fiscal, etc., não podendo o advogado dativo escolher quais causas e ramos do direito atuará. Será nomeado o advogado que estiver na vez.

 

VII - A nomeação do advogado dativo poderá ser feita para a prática de apenas um ato específico ou para patrocínio de todo o processo, a depender da necessidade do caso concreto, devendo o nomeado ser cientificado expressamente acerca da extensão de sua nomeação.

 

VIII - Havendo a nomeação de advogado dativo para acompanhamento do requerido(a) em audiência de conciliação/mediação e não ocorrendo a autocomposição, o advogado dativo nomeado deverá apresentar defesa e demais atos postulatórios, incumbindo-lhe o patrocínio de todo o processo a partir desse momento.

 

§ 1º Na hipótese do inciso VII, se a necessidade do caso concreto o evidenciar, é vedado ao advogado dativo nomeado pretender ser nomeado para apenas um ato específico e não para patrocínio de todo o processo, não cabendo ao advogado realizar esta análise, a qual compete exclusivamente à autoridade nomeante.

 

§ 2º Na hipótese do inciso VIII, não apresentando o advogado dativo nomeado a defesa e demais atos postulatórios que lhe incumbem, este não fará jus à compensação de tal processo.

 


Art. 6° Nos casos em que a parte comparecer à audiência, de conciliação/mediação, preliminar ou de instrução, desacompanhada de advogado constituído, observando-se a necessidade de prestação de assistência jurídica gratuita e, ainda, estando impossibilitada a Defensoria Pública de assistir a parte, a nomeação de advogado para atuar como dativo dar-se-á no início do ato, observando-se a lista mencionada no §1º do art. 3°, deste edital.

 

§ 1º. Nos casos do caput deste artigo, acaso o causídico que ocupe o topo da lista de inscritos, fazendo jus à nomeação para atuar como dativo, não possua disponibilidade imediata para patrocinar a causa, dever-se-á contatar o imediatamente subsequente, e assim sucessivamente, até que seja encontrado profissional imediatamente disponível.

 

§ 2º. O advogado que, ao ser contatado nos moldes do parágrafo anterior, não tiver disponibilidade imediata, será direcionado ao final da lista.

 

§ 3º O advogado que for nomeado para prática de atos no processo e não cumprir seu encargo no prazo fixado, será excluído da lista de advogados cadastrados para atuarem como dativos perante esta Vara, sendo-lhe vedada a inscrição na lista referente ao edital imediatamente subsequente.

 

Art. 7° As eventuais omissões e as situações não previstas neste edital serão decididas por este Juízo.

 

Art. 8° Este edital entra em vigor na data de sua publicação no Diário de Justiça.

 

Publique-se.

 

Iúna – ES, 10 de outubro de 2018.

 

RAFAEL MURAD BRUMANA

JUIZ DE DIREITO