view: contents - template: fulltext
QUI01
SEX02
SAB 03
DOM 04
SEG05
TER06
QUA07
QUI08
SEX09
SAB 10
DOM 11
SEG12
TER13
QUA14
QUI15
SEX16
SAB 17
DOM 18
SEG19
TER20
QUA21
QUI22
SEX23
SAB 24
DOM 25
SEG26
TER27
QUA28
QUI29
SEX30
Versão revista

VITÓRIA - 1ª VARA ESPECIALIZADA EM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER
Listas

Lista 0111/2018

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
VITÓRIA - 1ª VARA ESPECIALIZADA EM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER

JUIZ(A) DE DIREITO: DRº BRUNELLA FAUSTINI BAGLIOLI
PROMOTOR(A) DE JUSTIÇA: DRº JERSON RAMOS SOUZA
CHEFE DE SECRETARIA: GUSTAVO HENRIQUE NOGUEIRA FRANCO


Lista: 0111/2018


1 - 0006278-24.2015.8.08.0024 - Medida Protetiva de Urgência
Requerente: RENATA DA SILVA MERELES MAIA
Requerido: MARCOS ANTONIO CARDOSO MAIA

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 22176/ES - EDIRLEY DOS SANTOS DE OLIVEIRA
Requerido: MARCOS ANTONIO CARDOSO MAIA
 
Intimar o advogado do requerido da decisão que revogou a medida protetiva de urgência, cujo teor segue: ..."No presente caso, os requisitos de existência e validade da presente medida desapareceram, senão vejamos.As medidas protetivas foram concedidas em março/2015 e, desde então, a Requerente não se manifestou nos autos, à exceção das vezes em que foi provocada a manifestar a necessidade de manutenção das medidas.Em tais ocasiões, ratificou seu interesse nas medidas, afirmando que o Requerido supostamente as descumpria. Entretanto, desde março/2015, não consta dos autos qualquer comunicação de descumprimento.Não trouxe a Requerente qualquer informação apta a apurar o requisito indispensável à manutenção das medidas urgentes de proteção, quais sejam indícios de perigo iminente de ocorrência de quaisquer das formas de violência doméstica contra a mulher definidas nos arts. 5º e 7º da Lei nº 11.340/06.Não obstante presumida a ciência do Requerido quanto as medidas em razão do advogado constituído nos autos, constato que este não restou pessoalmente intimado até a presente data, uma vez que não possui endereço certo nos autos e a Requerente, muito embora por duas vezes intimada para tal fim, quedou-se inerte quanto a sua atualização. Verifica-se, portanto, a ocorrência de esvaziamento dos requisitos de existência e validade da presente, vez que a requerente não informou sobre a permanência da violência que deu ensejo ao deferimento desta demanda, concluindo-se de modo lógico pela sua cessação. Assim, caso não haja um motivo relevante a apontar a necessidade da Medida, deve ser a mesma revogada, sob pena de se perpetuar indefinidamente um constrangimento ilegal sem a comprovada justa causa. Sobre o tema colaciono jurisprudência:TJMG - Processo: Apelação Criminal 1.0216.14.005800-1/001 0058001-84.2014.8.13.0216 (1) - Relator(a): Des.(a) Octavio Augusto De Nigris Boccalini - Data da publicação da súmula: 11/09/2015. EMENTA: APELAÇÃO CRIMINAL - RATIFICAÇÃO DE MEDIDA PROTETIVA, COM EXTINÇÃO DO FEITO - DECISÃO DEFINITIVA - INTERPOSIÇÃO RECURSAL ADEQUADA - MÉRITO - LEI MARIA DA PENHA - PEDIDO DE REVOGAÇÃO DAS MEDIDAS PROTETIVAS - PRINCÍPIOS DA NECESSIDADE E URGÊNCIA - GRANDE LAPSO TEMPORAL DECORRIDO DESDE O PEDIDO INAUGURAL - RECURSO CONHECIDO E PROVIDO. - A decisão que apenas defere ou indefere as medidas protetivas é interlocutória, portanto, impugnável por via de agravo, ao passo que, nos termos dos arts. 162, §1º, 269, 267, IV e 513, todos do CPC, a decisão que põe termo ao procedimento cautelar, com extinção do feito, é terminativa e desafia recurso de Apelação. - As medidas protetivas possuem natureza cautelar, portanto, estão atreladas à necessidade e urgência da medida, no caso concreto. Decorrido significativo lapso temporal, desde a data das supostas ameaças, sem notícias de novos episódios de violência doméstica, não se pode presumir a imprescindibilidade das medidas protetivas para resguardar a integridade física e psicológica da vítima.TJMG - Processo: Apelação Criminal 1.0024.13.025678-7/001 0256787-05.2013.8.13.0024 (1) Relator(a): Des.(a) Fortuna Grion - Data da publicação da súmula: 08/10/2014. EMENTA: APELAÇÃO CRIMINAL - AMEAÇA - LEI MARIA DA PENHA - MEDIDAS PROTETIVAS DE URGÊNCIA - PERICULUM IN MORA NÃO CONFIGURADO - INDEFERIMENTO. 01. As medidas protetivas previstas no art. 22 da Lei 11.340/2006, têm natureza excepcional e possuem características de urgência e preventividade. O longo lapso temporal decorrido entre a ocorrência do fato e presente data, retira da medida protetiva o caráter de emergência, eis porque não há falar-se em in periculum in mora.Ademais, nada impede que a Requerente pleiteie novamente as medidas, na eventualidade de encontrar-se em nova situação de risco. Assim, pelos fundamentos expendidos alhures, REVOGO AS MEDIDAS PROTETIVAS DEFERIDAS anteriormente nestes autos. Intime-se a Requerente no endereço constante dos autos, considerando-se válida a intimação ainda que em caso de mudança, nos termos do art.274, parágrafo único, do Código de Processo Civil. Intime-se o Requerido por seu patrono constituído. Intime-se a Defensora Pública em defesa das vítimas. Notifique-se o Ministério Público. Decorrido o prazo para eventual recurso, após os registros e comunicações de praxe, determino o arquivamento do presente. Servirá o presente como mandado. Diligencie-se."


VITÓRIA, 31 DE OUTUBRO DE 2018

GUSTAVO HENRIQUE NOGUEIRA FRANCO
CHEFE DE SECRETARIA

Lista 0112/2018

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
VITÓRIA - 1ª VARA ESPECIALIZADA EM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER

JUIZ(A) DE DIREITO: DRº BRUNELLA FAUSTINI BAGLIOLI
PROMOTOR(A) DE JUSTIÇA: DRº JERSON RAMOS SOUZA
CHEFE DE SECRETARIA: GUSTAVO HENRIQUE NOGUEIRA FRANCO


Lista: 0112/2018


1 - 0002446-46.2016.8.08.0024 - Ação Penal - Procedimento Sumário
Autor: 0 MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL DO ESTADO DO ESP SANTO
Testemunha Autor: GIOVANA FAUSTINI
Réu: GUSTAVO DIAS ORTEGA

Intimo os(as) Drs(as) advogados(as)
Advogado(a): 16521/ES - CHARLES BONELI GONCALVES
Réu: GUSTAVO DIAS ORTEGA
Advogado(a): 17202/ES - NATHALIA DE ALCANTARA BERGAMASCHI
Réu: GUSTAVO DIAS ORTEGA
Advogado(a): 24292/ES - ROVENA FURTADO AMORIM
Testemunha Autor: GIOVANA FAUSTINI
instrução e julgamento designada nos autos da supra ação mencionada, que será realizada na sala de audiências do Fórum de VITÓRIA - 1ª VARA ESPECIALIZADA EM VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER, no dia 09/11/2018 às 13:30, situada no(a) AV. MARUÍPE, Nº 2544, BLOCO A, 3º ANDAR, BAIRRO ITARARÉ, VITÓRIA/ES. CEP: 29047-660.




VITÓRIA, 31 DE OUTUBRO DE 2018

GUSTAVO HENRIQUE NOGUEIRA FRANCO
CHEFE DE SECRETARIA